I want to Comment the Global Economics beyond the US and Brasil…

As a test, I would like to introduce myself. My inttention here is to say my opinion about the close upcoming about Economics. The most necessary is about the world wide out-put. As the US is the biggest economy in the world, it is the most necessary to know about. Secondly, it would be comments about the BRICS (Brasil, Russia, India, China e Africa do Sul). Then, the images from bear would simbolize the economics in recession. The image of the fish simbolizes the neutral economics, “walking besides”, meaning no news. And the bull simbolizing the economy in expansion.

Anúncios

Enquanto a redução do rendimento da poupança, provavelmente para estimular o consumo, pela regulação independente do Banco Central, no mesmo tom da liberação do FGTS, por outro lado, “Ilan defende investimentos e reformas para crescimento do Brasil”, que serve mais como discurso interessante, pois a outras formas de regulações de outros papéis, poderiam até trazer aumento dos cofres públicos e mais investimento:

Nova York – O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, destacou nesta quarta-feira a necessidade de investimento para o Brasil continuar crescendo e de continuidade das reformas. “O Brasil está se recuperando, mas precisamos de investimento para continuar crescendo”, afirmou ele durante evento promovido pelo Financial Times em Nova York. Ilan destacou o crescimento que…

via Ilan defende investimentos e reformas para crescimento do Brasil — EXAME

A política continua ruim, mas a economia segue respirando: hoje, novo corte da taxa de juros alivia mais um pouco a atividade produtiva do país

O Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, manteve o ritmo de cortes na taxa básica de juros e baixou a Selic em 1 ponto percentual, para 8,25%. A decisão foi tomada por unanimidade. Essa é a oitava redução consecutiva desde outubro do ano passado. Com isso, a taxa chega ao menor patamar desde julho de 2013, quando subiu a…

via Copom corta Selic para 8,25%, o menor valor desde 2013 — VEJA.com

Paulo Gala e Nelson Marconi avaliam tem avaliação semelhante: que o avanço da informalidade proporciona queda no desemprego:

O desemprego caiu de 13,6% para 12,8%, de acordo com dados da Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios Contínua, divulgados pelo IBGE nesta quinta-feira. Apesar do resultado positivo no trimestre, ainda há mais de 13 milhões de pessoas em busca de um trabalho, e o mercado formal está demorando para se reaquecer. O principal motivo para…

via Avanço da informalidade proporciona queda no desemprego — EXAME

Os juros básicos ainda estão a 9,25%, mas os serviços, último setor a reagir numa recessão, já estão se recuperando: Bresser Pereira faz uma bela crítica. Porém, hoje, já saiu uma nota positiva sobre os serviços:

https://www.brasil247.com/pt/247/economia/311969/Bresser-%E2%80%98no-Brasil-do-rentismo-trabalhadores-e-industriais-est%C3%A3o-exclu%C3%ADdos%E2%80%99.htm

 

http://g1.globo.com/economia/noticia/setor-de-servicos-cresce-13-em-junho-diz-ibge.ghtml

 

Se a política está complicada e não responde, a economia aumenta o seu papel ainda complicada: lembrando que o Copom, para decidir sobre rebaixamento de juros ainda acontecem em 5-6/setembro, 24-25/outubro e 3-6/dezembro

A resposta é simples: a atividade industrial tem mais espaço para inovação, automação e economias de escala e escopo. Mais do que os serviços pessoais e a agricultura. Os serviços sofisticados ou empresariais também apresentam mais oportunidades de escala e inovações tecnológicas. Os ganhos relevantes de produtividade de uma economia vem desses dois setores: indústria…

via Por que a industria é “especial”? Alfred Chandler Jr explica — Paulo Gala