Analistas avaliam que dívida cairá R$ 140 bi se a Selic chegar a 8,75% (Correio Braziliense, 08/04/2017)

Qual será a nova taxa de juros só será decidida em 31 de maio, quando acontece a nova reunião do COPOM. Essa é o principal motivo de continuidade do aumento de desemprego no país:

José Luis Oreiro

A poucos dias de uma nova reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central (BC), as apostas sobre uma queda mais acelerada da taxa básica de juros (Selic) se avolumam. A expectativa da maioria dos analistas de mercado é de que, na próxima quarta-feira, a Selic caia um ponto pecentual, para 11,25%, e, chegue ao fim do ano em 8,75%, o que representará uma redução expressiva nas despesas com juros do governo neste ano – queda entre R$ 88 bilhões e R$ 140 bilhões.

De acordo com dados do BC, cada ponto percentual a menos na taxa básica implica redução de R$ 22 bilhões na dívida líquida. Pelas estimativas do Itaú Unibanco, considerando os vencimentos e componentes da dívida deste ano, a diminuição será de cerca de R$ 25 bilhões para cada ponto de queda, podendo atingir R$ 35 bilhões caso a queda da Selic se propague, passado…

Ver o post original 607 mais palavras

Anúncios

Com juros altos, crise social atinge a economia do Brasil

A hashtag #GreveGeral é trending topic nas redes sociais e, mesmo sob a vista grossa da grande imprensa, hoje ocupa o noticiário. Muita gente está irritada com a mobilização das centrais sindicais e a balbúrdia que causaram nesta sexta-feira. Acredito que a mudança social rumo à maior inclusão ganha força quando entendemos a história das […]

via Por que os trabalhadores devem parar o país — O Barômetro – A Economia sob Pressão